Nova Mutum

day_122.png
14 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

14 de Junho de 2024

GERAL Segunda-feira, 12 de Dezembro de 2022, 16:05 - A | A

12 de Dezembro de 2022, 16h:05 - A | A

GERAL / SOCIAL

Personalidades notáveis são reconhecidas com Honraria "O Semeador" de Nova Mutum

Oito pioneiros foram homenageados na 5ª edição do evento, realizada na noite desta sexta-feira (9)

Gilmar Alves/ GCOM - Prefeitura Nova Mutum
Nova Mutum/MT



A Prefeitura de Nova Mutum entregou na noite do dia 09 de dezembro a Honraria "O Semeador", edição de 2022. A premiação, com entrega dos certificados e o troféu, foi realizada em solenidade no auditório do Sindicato Rural. Autoridades locais, convidados e familiares prestigiaram a solenidade, seguida de jantar e apresentações musicais.

O reconhecimento máximo por parte do município é destinado a personalidades que se destacaram ou que tenham prestado serviços relevantes à sociedade mutuense.

Neste ano, oito pessoas receberam a estatueta honorífica. Os agraciados de 2022 foram Aparecida Ferreira Luis Galdino; Albino Pavlack; Altair Wolff Santin; Leane Simone Altmann; Paulo Mocellin; Lucia Heming dos Santos Barbosa; Claudio João Sfredo e Gilberto Caneppele.

Os homenageados foram tomados pela emoção ao ver em vídeo o início de tudo e a biografia de cada um dos agraciados. Através de fotografias, momentos marcantes da vida dos homenageados foram relembrados.

Em seu discurso, o prefeito Leandro Félix destacou a importância de se reconhecer o trabalho e a história das pessoas que colaboram com Nova Mutum.

“Estamos honrando o legado dos pioneiros. Foram eles que vivenciaram o início deste pujante município e acreditaram no potencial da nossa terra e nosso povo” - enfatizou.

Para o vice-prefeito Alcindo Uggeri, que já foi agraciado com a honraria no ano de 2018, esta é uma festividade marcante para Nova Mutum. “Que vocês, homenageados, continuem firmes neste propósito de construir conosco uma cidade cada vez melhor”, destacou Alcindo.

A comissão conferiu a honraria aos homenageados, conforme a Lei Municipal n° 1914, de 07 de dezembro de 2015.

Desde a primeira edição do " O Semeador", a honraria já foi concedida a personalidades pioneiras de Nova Mutum como Frederico Ribeiro Krakauer, neto do pioneiro e desbravador José Aparecido Ribeiro (in memorian), Jair Martins de Arruda, primeiro sub-prefeito de Nova Mutum (município de Diamantino) na década de 80, e Francisco Pinardi de Moraes, primeiro vice-prefeito de Nova Mutum.

Confira o histórico dos homenageados: 

Aparecida Ferreira Luis Galdino, mais conhecida como professora Cida. Filha de Sebastião José Luis e Conceição Ferreira Luis, nasceu em 27 de setembro de 1961, em Cuiabá, porém seus pais já moravam em terras mutuenses, na Gleba Iracema, na época município de Diamantino. Ajudou o pai na lavoura e na serraria até os 12 anos, quando teve a oportunidade de ir para Cuiabá estudar, concluindo o segundo grau e se tornando Técnica em Construção Civil. Mas foi como pedagoga que Cida realizou sua vocação. Em 1986 foi convidada a assumir uma sala multisseriada na Comunidade Gleba Iracema. Casou-se com Valter de Morais Galdino, com quem teve Jormáina e Pablo. Cursou Pedagogia na antiga Fundação Municipal de Ensino Superior de Nova Mutum, a Fumesunm, e em seguida se especializou em Educação Infantil e Alfabetização. Em 97 assumiu uma sala na escola municipal Tancredo Neves, onde permaneceu por 18 anos e atuou como Professora, Secretária, Coordenadora Pedagógica e gestora escolar. Professora Cida sempre atuou como voluntária em conselhos escolares, associações de pais e mestres, foi Catequista, ajudou na criação da extinta Cooperativa Feminina de Produção, foi diretora da APUB e do SINTEP. Hoje aposentada, integra a Equipe de Liturgia da Igreja Católica na Capela São Cristóvão. Orgulhosa da família que criou, de ser avó e de ter publicado recentemente seu primeiro livro, Aparecida Ferreira Galdino é uma semeadora... de conhecimento e bons exemplos.

Albino Pavlack, nascido em 24 de fevereiro de 1941, na cidade de Gaurama, Rio Grande do Sul. Filho de Cornélio Pavlack e Estância Pavlack, perdeu sua mãe quando tinha três meses de nascimento, sendo criado por uma tia até os seus doze anos de idade, quando decidiu sair de casa e trabalhar com plantação, por conta própria. Após servir o Exército, onde aprendeu a ser forte e corajoso para enfrentar os obstáculos da vida, foi para a cidade de Toledo, no Paraná, em busca de emprego. Lá comprou 13 alqueires de terra e começou a plantar milho, feijão e trigo. Conheceu a sua esposa Armelinda Maria Pavlack, casaram-se e tiveram quatro filhos: Clarice, Claudecir, Cleci e Clairton. O pedaço de terra já não era suficiente para o sustento da família. Foi quando Albino decidiu ir sozinho para o Mato Grosso em busca de mais terras. Chegou a Nova Mutum em 82, e com o pouco que tinha conseguiu comprar 200 hectares de cerrado. Com muita luta e dormindo em barraco de lona, conseguiu abrir a área para plantação de arroz, até trazer sua família no ano de 86. Há 15 anos, Albino enfrentou e superou um câncer na garganta. Hoje com 81 anos, aposentado e avô de oito netas, se sente realizado e orgulhoso por ter vindo de tão longe e poder acompanhar o desenvolvimento da cidade onde pôde crescer profissional e financeiramente. Albino Pavlack é um semeador... de grandes histórias e realizações.

Altair Wolff Santin, nascida em primeiro de maio de 1949, em Soledade, Rio Grande do Sul, é filha de Pedro Portella Wolff e Izaltina Wolff. Aos 8 anos de idade, mudou-se com os pais e os 8 irmãos para Chapecó, Santa Catarina. Em 1969, habilitou-se à docência. Dois anos depois casou-se com o também professor José Maximiniano Santin e foram morar em Caxambu do Sul, Santa Catarina, onde atuou como professora durante 10 anos na escola básica Cândido Ramos. Três anos mais tarde, Altair se graduou em matemática pela Universidade Federal de Santa Catarina. A falta de expectativa de crescimento na região trouxe a necessidade de desbravar novos horizontes. Foi no ano de 78 que o casal se mudou em definitivo para Mato Grosso. Ao chegarem à comunidade da Colonização São Manoel, juntaram-se a mais 25 famílias migrantes, a maioria vindos de Chapecó e região. Na nova terra, a família entrou para a atividade agrícola, enquanto Altair manteve suas funções como educadora na escola da comunidade, que iniciou com apenas 07 alunos. No ano 2000 formou-se no curso de pedagogia, pela Faculdade Municipal de Nova Mutum. Mulher atuante, Altair esteve sempre envolvida com os interesses da coletividade, fazendo parte da diretoria comunitária e da igreja católica, onde desde 2000 atua como ministra da eucaristia. Hoje aposentada do serviço público, reside na comunidade São Manoel. Suas três filhas e três netos são seu orgulho, assim como os alunos que ajudou a formar. Altair Wolff Santin é uma semeadora... de conhecimento e realizações.

Leane Simone Altmann, nascida em 04 de abril de 1965, na cidade de Carazinho, Rio Grande do Sul, é filha dos produtores rurais Danilo Altmann e Mercedes Worst Altmann. Após sua graduação em Direito pela Universidade de Passo Fundo e já casada com Wanderlei Elger, a vocação para o agro falou mais alto. Optou, juntamente com seu marido, por morar em Mato Grosso, na cidade de Nova Mutum, onde dedicou-se à atividade agrícola e assessorou a organização do Sindicato Rural local. Foi professora na escola estadual, na Cnec e mais tarde na Faculdade Municipal de Nova Mutum. Com o passar dos anos vieram os filhos Pedro, Julio e Marco. Eleita em 1999, Leane foi a única mulher a presidir o Sindicato Rural de Nova Mutum, e a primeira em todo o Mato Grosso. Foi membro da diretoria Famato, do Conselho do Sicredi e de diversos conselhos municipais. Participou da fundação da Aprosoja e foi a primeira coordenadora do núcleo de Nova Mutum. Leane viveu momentos inesquecíveis à frente do sindicato. Entre eles a participação em movimentos ruralistas de porte nacional como o “Caminhonaço” e o “Tratoraço”. participou também do “Grito do Ipiranga”, movimento vitorioso com participação fundamental dos jovens e mulheres. Atualmente dedica-se a sucessão na atividade atividade agrícola e pecuária da família, exercendo uma administração compartilhada com dois filhos, desfrutando da presença dos netos e sentindo como é gratificante colher os frutos do trabalho e dedicação à família. Leane Altmann é uma semeadora... de bons exemplos e resultados.

Paulo Mocellin, nascido em 21 de agosto de 1963, no município Mariano Moro, Rio Grande do Sul, é filho de Lucia Francisca Mocellin e Olindo Mocellin. Formado técnico agrícola, Paulo mudou-se para Nova Mutum em 1984, aos 21 anos de idade, em busca de um futuro melhor. De 84 a 90, trabalhou na Comercial Paranaense de Cereais - Copacel, segunda cerealista a se instalar no ainda distrito de Nova Mutum. Foi em 1990 que o jovem Paulo deu um dos maiores passos da sua vida profissional. Tornou-se empresário do agronegócio, ao abrir a Mocellin Comércio e Representações, que iniciou atuando com venda de insumos, e posteriormente foi vendida a seu irmão. Paulo Mocellin casou-se com Marcia Cristina Mocellin. É pai de Rafaela, Nicole e Julia, e avô do pequeno Vitor Miguel. Atualmente atua na com produção de soja e milho, pecuária bovina, e é sócio da empresa Perfil & Mocellin Armazéns Gerais. Na comunidade, sempre colaborou com a igreja, é um dos principais apoiadores da campanha Sojapae, que ajuda a manter a Apae de Nova Mutum, além de apoiar outras entidades no município. Apaixonado por sua família e pelo agro, Paulo Mocellin é um semeador... de oportunidades e desenvolvimento.

Lucia Heming dos Santos Barbosa, nascida em 19 de julho de 1962 na cidade de Toledo, Paraná. Filha de Arlindo Kniphoff dos Santos e Adalina Heming dos Santos, concluiu seus primeiros estudos no Colégio Imaculado Coração de Maria e em seguida o curso de técnico em Contabilidade no Colégio La Salle. Dos 17 aos 22 anos, trabalhou como escriturária no cartório Eleitoral da cidade. Em 88, a família se mudou para Mato Grosso e passou a trabalhar em uma churrascaria no Posto Gil. Quatro anos depois, o casal montou a própria churrascaria, no Hotel Kayabi, em Diamantino. Ainda em 92, conheceu Nova Mutum e vislumbrou a possibilidade de crescer junto com a cidade. Em um prédio no início arrendado, Lucia e Cido fundaram a Churrascaria Chapadão, onde permanecem na atividade até os dias atuais. Foi em 2008 que Lucia começou a atuar no social, visitando famílias carentes e levando material escolar e alimentos. Impactada por histórias tristes que presenciou, deu início a um grupo que cresceu até se transformar no projeto Banco do Leite, ligado à igreja Católica. Em 2017, participou da criação da Oficina de Leitura São Gabriel, e mais tarde ajudou a criar a Fraldaria São José, que atende famílias carentes com a doação de fraldas infantis e geriátricas. Mãe, esposa, avó de três netos e empreendedora. Apaixonada por sua família e pelo bem social, Lucia Heming Barbosa é uma semeadora... de amor ao próximo

Claudio João Sfredo, nasceu em 06 de julho de 1958, em Caxambu do Sul, Santa Catarina. Filho de Irene Bellei Sfredo e Rocco Sfredo, trabalhou na agricultura com o avô e tios dos 12 aos 18 anos de idade. Formou-se técnico em contabilidade pelo Colégio São Francisco de Chapecó e trabalhou no serviço de Inspeção Federal junto à Sadia daquela cidade. Casou-se com Marineiva de Fátima Sfredo e, em julho de 1983, aos 25 anos de idade, buscando novas oportunidades para construir um futuro melhor para a família, mudou-se para Nova Mutum, onde permanece até hoje trabalhando com o agronegócio. A atuação comunitária sempre fez parte da vida de Claudio. Na década de 1980, integrou a Comissão pró-emancipação de Nova Mutum. Foi sócio fundador da Associação Recreativa, do Sindicato Rural, da Acrimutum e da Credimutum, atual Sicredi, onde também foi diretor e conselheiro ao longo de 20 anos. Contribuiu em diversas outras instituições na cidade e comunidades do interior, como a Comissão Organizadora da Expomutum. Eleito vereador para a legislatura de 1993 a 1996, foi primeiro secretário e vice-presidente da Câmara de Nova Mutum. Pai de três filhas, Caroline, Nathália e Nicole, Claudio considera que a vinda para Mato Grosso no início muito desafiadora. “Diante das dificuldades encontradas, com muita luta, persistência e apoio da família, amigos e vizinhos, aqui crescemos. Construí minha família, acompanhamos a cidade nascer e crescer e com muito orgulho de Nova Mutum estamos aqui até hoje.” Claudio João Sfredo é um semeador... de alimentos e do bem comum.

Gilberto Caneppele, nasceu no município de Águas de Chapecó, Santa Catarina, no dia 10 de dezembro de 1960. Filho de Isidoro Caneppele e Adelina Piccinini Caneppele, formou-se técnico em agropecuária pelo Colégio Agrícola Federal de Concórdia. Mudou-se para Nova Mutum em 1979, instalando-se na Colonização São Manoel, na época município de Nobres, para trabalhar na agricultura juntamente com sua irmã Elydia e seu cunhado Thercílio Félix Zen. Em 1984 formou-se engenheiro agrônomo pela UFMT, em Cuiabá, e seguiu trabalhando na propriedade da família, atividade que mantém até os dias atuais. Desde muito jovem, Gilberto trabalhou pela comunidade em diversas frentes. Na década de 80, foi um dos integrantes da comissão pró-emancipação de Nova Mutum. Participou da fundação de entidades como a Associação dos Produtores Rurais de Nova Mutum em 86, Associação dos Criadores de Nova Mutum - Acrimutum em 92, e Sindicato Rural de Nova Mutum, do qual foi o primeiro presidente, de 1988 a 90. Foi membro da comissão de fundação da Credimutum e mais tarde foi vice-presidente da diretoria da cooperativa, e presidente de 1992 a 96. Atualmente é vice-presidente do Conselho de Administração da Sicredi Ouro Verde MT. Atualmente casado com Rosilene Caneppele e pai de Franciele e Arthur, Gilberto tem o prazer de trabalhar com os filhos na propriedade da família, preparando a sucessão nos negócios. Presente e atuante na sociedade mutuense, Gilberto Caneppele é um semeador... de cooperação e geração de valor.

 

Comente esta notícia

cd0fb6c3112b42f4ac7db47ed2ff7af9_2.png
whatsapp-icon-4.png (65) 9 9280-9853