Nova Mutum

day_122.png
18 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

18 de Junho de 2024

GERAL Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2022, 18:07 - A | A

02 de Dezembro de 2022, 18h:07 - A | A

GERAL / NEGOCIAÇÃO

Prazo para relicitação da BR-163, em Mato Grosso, é prorrogado por 60 dias

Pedido da Rota do Oeste foi aprovado pela diretoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

G1/MT



A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) prorrogou por 60 dias o prazo para relicitação da BR-163 nos trechos administrados pela Concessionário Rota do Oeste. A decisão foi tomada pela diretoria do órgão nessa quinta-feira (1º).

A justificativa da empresa para o adiamento é conseguir mais tempo para as negociações com a MT Par, que irá assumir a administração da rodovia, da divisa com o Mato Grosso do Sul até Sinop, a 503 km da capital.

O governo tenta reduzir em 60% as dívidas totais, que somam R$ 920 milhões, contraídas pela concessionária com os bancos. Já autarquia quer a redução dos débitos e pagar 40% da dívida, à vista.

A concessão ao estado foi autorizada em acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU).

Os três bancos responsáveis pelo débito são a Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Itaú.

O Itaú informou em nota que a “transação em discussão requer anuência de 100% dos credores da CRO. Credores como um todo seguem avaliando/discutindo termos da transição e ainda não possuem posição definida”.

A instituição diz ser favorável a uma transação envolvendo a amortização de 40% da dívida da CRO.

“Dívidas da CRO também contam com garantia de holding de ativos de infraestrutura do Grupo Odebrecht, mas essa é uma discussão a parte do M&A, ou seja, os 60% devem ser tratados de forma equânime com os demais credores da holding. Uma vez concretizada a transação com amortização de 40% da dívida da CRO, portanto, o saldo remanescente da dívida deve ser objeto de tratativas entre credores e empresa garantidora do Grupo Odebrecht, fora do escopo da transação vislumbrada de venda da CRO para MTPAR”.

O Banco do Brasil disse que não vai se manifestar sobre o caso. A Caixa também não se manifestou.

Comente esta notícia

cd0fb6c3112b42f4ac7db47ed2ff7af9_2.png
whatsapp-icon-4.png (65) 9 9280-9853