Nova Mutum

day_122.png
25 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

25 de Julho de 2024

GERAL Sábado, 29 de Junho de 2024, 20:36 - A | A

29 de Junho de 2024, 20h:36 - A | A

GERAL / 2 a 0

Suíça domina, vence Itália sem dificuldades e avança às quartas de final da Eurocopa

Gazeta Esportiva



A Suíça está nas quartas de final da Eurocopa. Neste sábado, o time comandado por Murat Yakin enfrentou a Itália, atual campeã do torneio, no Estádio Olímpico de Berlim, e venceu sem dificuldades, por 2 a 0, graças aos gols de Freuler e Ruben Vargas.

Essa foi a primeira vez que a Suíça venceu a Itália por mais de um gol de diferença em 70 anos. A última vez que o time dos Alpes havia batido os italianos por dois ou mais gols de diferença foi em 1954, na Copa do Mundo, quando saiu de campo com o placar favorável de 4 a 1.

Os suíços agora aguardam o vencedor do confronto entre Inglaterra e Eslováquia, que acontece neste domingo, às 13h (de Brasília), em Gelsenkirchen, para descobrirem seu adversário nas quartas de final da Eurocopa.

Suíça domina o 1ºT

A Suíça dominou o primeiro tempo no Estádio Olímpico de Berlim. Nos 45 minutos iniciais o time comandado por Murat Yakin teve 58% de posse de bola, finalizou dez vezes, contra apenas uma da Itália, além de também ser mais combativo que o rival, recuperando 16 bolas, contra 14 dos italianos.

O primeiro gol da Suíça só não saiu aos 24 minutos porque Embolo, ao sair cara a cara com Donnarumma, viu o goleiro italiano fazer uma defesaça para salvar a seleção da Itália.

Aos 37, porém, não teve jeito. Vargas recebeu pela esquerda e cruzou rasteiro para Freuler, que dominou e, depois que a bola subiu, bateu sem deixá-la cair no chão, marcando um bonito gol para abrir o placar para a Suíça.

Antes do intervalo Donnarumma ainda teve de fazer outra defesa decisiva para evitar uma vantagem ainda maior dos suíços. Aos 46 minutos, Rieder cobrou falta colocado, obrigando o goleiro italiano a se esticar todo para tocar a bola com a ponta dos dedos e vê-la beijar a trave antes de sair pela linha de fundo.

Itália mexe no intervalo

Para correr atrás do prejuízo no segundo tempo, o técnico Luciano Spalletti decidiu sacar El Shaarawy para a entrada de Zaccagni, mas a Itália sequer teve tempo para fazer o seu jogo com a nova configuração em campo, sofrendo o segundo gol da suíça aos 30 segundos da etapa complementar.

Suíça amplia

Era a Itália quem tinha de voltar para o segundo tempo ligada, mas foi a Suíça quem o fez. Trocando passes com bastante liberdade próximo à área rival, os suíços conseguiram chegar ao segundo gol após Vargas receber e bater no ângulo, com categoria, marcando um golaço para deixar seu time ainda mais confortável.

Depois disso a Suíça pisou no freio e passou a administrar a boa vantagem construída ao longo da partida, se expondo menos e aguardando o adversário se jogar no ataque para tentar contra-atacar.

Na reta final do jogo a Itália até conseguiu assustar. Fagioli recebeu passe por elevação e ajeitou para Scamacca, que chegou batendo de primeira, dentro da área, carimbando a trave e levando a torcida italiana à loucura no Estádio Olímpico de Berlim, onde, em 2006, o país se sagrou tetracampeão mundial. Assim, coube à Azzurra se conformar que, desta vez, o mítico gramado na Alemanha não trouxe sorte, amargando a eliminação precoce na Eurocopa.

Comente esta notícia

cd0fb6c3112b42f4ac7db47ed2ff7af9_2.png
whatsapp-icon-4.png (65) 9 9280-9853