Nova Mutum

day_122.png
25 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

25 de Julho de 2024

GERAL Quinta-feira, 20 de Junho de 2024, 10:49 - A | A

20 de Junho de 2024, 10h:49 - A | A

GERAL / COM GOLPE DE FOICE

Tribunal do Júri absolve mulher que matou marido por suspeitar de abusos contra filha

Raynna Nicolas/Hiper Noticias



O conselho de sentença absolveu Nedite Nunes Siqueira, acusada de matar o próprio marido, Mário Videira, com golpes de foice, na cidade de Cotriguaçu (950 km de Cuiabá), em 2013. Na ocasião, ela assumiu para polícia que havia matado o marido e justificou o crime dizendo que suspeitava que Mário estava abusando sexualmente da filha dela, além de não dividir os lucros da venda de madeira da família. 

O Ministério Público ofereceu denúncia ainda em setembro de 2013, requerendo a condenação da ré por homicídio qualificado por recurso que dificultou a defesa da vítima. No dia dos fatos, a ré teria, de forma inesperada, apropriado-se de uma foice e deu o primeiro golpe na vítima, por trás, atingindo a região da nuca. 

Após o primeiro golpe, Mário caiu no chão ainda vivo e, conforme o MP, ao notar um veículo se aproximando, Nedite finalizou o crime dando um segundo golpe, tão forte que quase partiu o crânio da vítima.

A defesa da mulher usou a tese da inexigibilidade da conduta diversa. A teoria, em síntese, isenta de culpabilidade um indivíduo que, quando inserido em ambiente criminoso, mediante grave ameaça, por exemplo, como reação, vê-se incitado a cometer um homicídio. 

Na votação do Tribunal do Júri, os jurados reconheceram a materialidade do crime, porém votaram pela absolvição de Nedite. 

Comente esta notícia

cd0fb6c3112b42f4ac7db47ed2ff7af9_2.png
whatsapp-icon-4.png (65) 9 9280-9853