Nova Mutum

day_122.png
20 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

20 de Julho de 2024

Polícia Domingo, 30 de Junho de 2024, 21:57 - A | A

30 de Junho de 2024, 21h:57 - A | A

Polícia / AMEAÇA DIGITAL

Golpes nas redes sociais representam 30% dos casos de estelionatos em Mato Grosso

Camila Ribeiro/Hiper Notícias



Os golpes nas redes sociais ou em sites de comércio representam 30% dos casos de estelionatos em Mato Grosso, segundo a Secretaria de Estado de Segurança de Mato Grosso (Sesp-MT). O recorte soma os registros entre janeiro e abril de 2024, quando a Pasta contabilizou 7.639 ocorrências de fraude. Comparando com o mesmo período do ano anterior, quando foram somadas 6.902 vítimas, o número representa um aumento de 11%.  

Os crimes cometidos por meio WhatasApp aparecem em segunda colocação, com 26% dos registros. O estelionato com menor incidência é o de extorsão, em que o criminoso se passa por membros do Comando Vermelho e pede transferências em dinheiro. A prática soma apenas 2%. 

O mês de janeiro foi quando os estelionatários mais fizeram vítimas no Estado. Ao todo, 1.961 mato-grossenses foram às delegacias registrar a ocorrência. A quantidade é equiavelente a 13% do total de ocorrências. 

O empresário de Cuiabá Igor Gabriel, de 37 anos, caiu em dois golpes em redes sociais. O primeiro foi uma contratação de um serviço para impulsionar a visualização dos perfis do seu negócio. O valor perdido foi baixo, cerca de R$ 30. Ele fez o pagamento e, duas horas depois, foi bloqueado. 

"Quando fiz o PIX, afirmaram que em alguns minutos depois começaria a notar que os likes iriam aumentar. Esperei duas horas e, quando voltei, não conseguia mais conversar ou encontrar a página no Facebook", explicou Igor ao HNT. 

O segundo golpe foi pelo Instagram. Ele viu o anúncio de investimento que o valor pago se multiplicava 10 vezes mais. O empresário confiou e, depois, foi informado pelo amigo que seu seu perfil estava hackeado. 

"Fiquei seduzido por aquela situação, precisava de dinheiro. Entrei em contato com o tal infeliz, me passou as coordenadas e fiz o Pix", lamentou. 

IDOSA DE 84 ANOS PERDEU R$ 14 MIL

A aposentada Margarida Fernandes, de 84 anos, perdeu R$ 14 mil. Ela está entre os 8% dos mato-grossenses que sofreram golpes relacionados a bancos. A idosa cuiabana foi abordada pelo celular. O criminoso ligou afirmando ser do Banco do Brasil e que o cartão de crédito de Margarida havia sido clonado. 

"Por uma triste coincidência, eu tinha perdido o meu cartão e ele começou a falar sobre compras em valores altos que foram registradas de R$ 3 mil, R$ 4 mil. Fiquei assustada", contou a vítima à reportagem. 

O suspeito a orientou a ir até a agência bancária e pediu que não desligasse. Dentro da agência, o homem fez o passo a passo para que ela emitisse o extrato e informasse o quanto tinha na poupança. 

"Fiz a transferência e depois ele ainda me enganou, usando o cheque especial, perdi mais R$ 4 mil. Fica uma sensação de insegurança. Afetou até a minha saúde, a minha pressão está sempre alta agora", disse a idosa. 

Reprodução

Estelionato

GOLPES ONLINE NO BRASIL

Conforme o “Relatório de Identidade Digital e Fraude 2024” da Serasa Experian, 42% dos brasileiros foram vítimas de fraudes financeiras no país, o que resulta em quatro a cada 10 brasileiros. O salário mínimo atual no Brasil é de R$ 1.412 e, segundo a pesquisa, 57% das pessoas que sofreram golpes perderam em média R$ 2.288, que contabiliza quase um mês e meio de trabalho, para quem ganha um salário mínimo.

SAIBA COMO SE PROTEGER DAS FRAUDES

- Tenha todas as provas da fraude documentadas; 

- Evite deixar a função de pagamento por aproximação liberado em seus cartões de crédito e débito;

- Desconfie de ligações falando que é do banco do seu cartão de crédito ou conta salário; 

- Fique de olho na sua fatura do cartão e extrato bancário.

*Dicas da Serasa Experian

Comente esta notícia

cd0fb6c3112b42f4ac7db47ed2ff7af9_2.png
whatsapp-icon-4.png (65) 9 9280-9853