Nova Mutum

day_122.png
15 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

15 de Junho de 2024

Polícia Quarta-feira, 21 de Dezembro de 2022, 11:53 - A | A

21 de Dezembro de 2022, 11h:53 - A | A

Polícia / OPERAÇÃO CARGA PESADA

Polícia Civil de MT cumpre prisão de casal envolvido em desvio de cargas na BR-163

Investigações conduzidas pela Polícia Civil do Pará identificaram uma associação criminosa envolvida no desvio de cargas de grãos

Assessoria | Polícia Civil-MT



Duas pessoas envolvidas em crimes de desvio de cargas de grãos e fertilizantes tiveram mandados de prisão cumpridos pela Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), em apoio à Operação Carga Pesada, deflagrada pela Polícia Civil do Pará, na terça-feira (20.12).

As investigações conduzidas pela Polícia Civil do Pará tinham como alvo uma organização criminosa especializada no desvio de cargas de grãos (soja e milho) e fertilizantes de empresas que atuam pela BR-163, que liga os estados do Pará e de Mato Grosso.

As ordens judiciais, entre mandados de prisão (preventivas e temporárias), de busca e apreensão e de bloqueio de bens que chegam ao valor de R$ 10 milhões, foram expedidas pela Vara Criminal de Itaúba (PA).

Em Mato Grosso, dois mandados de prisão preventiva foram cumpridos pelos policiais da GCCO. Um dos alvos, de 28 anos, já se encontrava preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), onde teve a ordem de prisão cumprida. A outra prisão foi cumprida contra uma mulher, de 25 anos, em sua residência em um condomínio de luxo em Cuiabá.

O delegado titular da GCCO, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, destaca que o apoio às operações desencadeadas por outros estados são fundamentais para o combate das ações das organizações criminosas, especialmente em crimes de furto, roubo e desvio de cargas.

“Por meio da troca de informações e levantamentos realizados pelas investigações de cada estado é possível identificar integrantes desses grupos, modo de ação e outros dados que tornam possível a desarticulação das associações criminosas”, disse o delegado.   

Comente esta notícia

cd0fb6c3112b42f4ac7db47ed2ff7af9_2.png
whatsapp-icon-4.png (65) 9 9280-9853