Nova Mutum

day_122.png
25 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

25 de Julho de 2024

Polícia Quarta-feira, 26 de Junho de 2024, 14:22 - A | A

26 de Junho de 2024, 14h:22 - A | A

Polícia / MANDADO CUMPRIDO

Polícia Civil prende em SC homem que matou vítima a facadas em Cuiabá

DHPP apurou que suspeito de 50 anos, que estava foragido, e a mulher de 32 anos, presa anteriormente, cometerem crime de forma fria e covarde

Assessoria | Polícia Civil-MT



A Polícia Civil de Mato Grosso prendeu nesta terça-feira (25.06), em Porto Belo, Santa Catarina, o suspeito de matar Crizuandhel Fialho Egueis Arruda a facadas em Cuiabá, em fevereiro deste ano. A ação foi coordenada pela Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Mato Grosso.

O suspeito, de 50 anos, possui um histórico criminal extenso, incluindo uma condenação por homicídio em 2018. A prisão preventiva foi decretada após investigações que identificaram sua participação no crime.

A captura foi realizada com o apoio da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC) de São José, Santa Catarina. Após a prisão, o homem foi apresentado em audiência de custódia e encaminhado ao sistema prisional de Balneário Camboriú.

Uma segunda envolvida no homicídio, uma mulher de 32 anos, também teve a prisão preventiva decretada e foi cumprida na Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto, em Cuiabá, onde já estava detida.

Na madrugada do dia 21 de fevereiro, a DHPP foi acionada para investigar um homicídio em um residencial no bairro Despraiado, em Cuiabá. A vítima foi encontrada na guarita do residencial, com múltiplas perfurações de faca. Imagens de câmeras de segurança mostraram dois homens e uma mulher perseguindo a vítima até a guarita.

Com base nas imagens, os investigadores identificaram o suspeito de 50 anos e a mulher de 32 anos, que mantinha um relacionamento com a vítima na época do crime. A investigação apontou que o homicídio foi cometido de forma fria e covarde, sem qualquer preocupação com os pedidos de socorro da vítima.

Diante das evidências, o delegado Edison Ricardo Pick da DHPP representou pela prisão preventiva dos envolvidos, pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil e recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

Comente esta notícia

cd0fb6c3112b42f4ac7db47ed2ff7af9_2.png
whatsapp-icon-4.png (65) 9 9280-9853