Nova Mutum

day_122.png
15 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

15 de Junho de 2024

Política Domingo, 18 de Dezembro de 2022, 11:06 - A | A

18 de Dezembro de 2022, 11h:06 - A | A

Política / “ISSO ASSUSTA”

Cattani: Ações de Alexandre de Moraes mostram como toda ditadura começa

O ministro já censurou veículo de comunicação, parlamentares e agora está agindo contra os manifestantes que não se conformam com a vitória de Lula

Daffiny Delgado/Repórter MT



O deputado estadual Gilberto Cattani (PL) criticou, em entrevista à imprensa, as ações que vêm sendo tomadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. Para ele, a censura aos veículos de comunicação, parlamentares, bloqueios de contas bancárias de empresas e pessoas ligadas aos atos contra a vitória de Lula (PT), demonstram "como se começa a ditadura" num país democrático.

"As palavras dele foram: 'tem muita gente pra prender, muita multa pra aplicar'. Num tom sarcástico e dando risada. Isso assusta. Toda ditadura começa assim", declarou.

As ações do ministro começaram durante as eleições deste ano. Já os atos – classificados pelo STF como antidemocráticos – tiveram início no dia 30 de outubro, com a derrota do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Cattani lembrou do "medo" que as pessoas contrárias ao atual presidente tinham de ele implantar a ditadura militar no país e ressaltou que, ao contrário disso, Bolsonaro sempre agiu "dentro das quatro linhas da constituição". Diferente do que vem sendo feito por Moraes.

"O que o ministro está fazendo é exatamente o que foi feito em outros países socialistas, ou seja, implantando de fato aquilo que todo mundo teme e que todo mundo falava que Bolsonaro ia fazer e nunca fez. Pelo contrário", disse.

"Sempre agiu dentro das quatro linhas, mesmo que isso custe a vida dele. Já eles não, eles querem e vão fazer de tudo para que a pátria grande, como eles falam, seja implantada em nosso querido e amado país, infelizmente", completou.

Os patriotas - como se intitula o grupo de manifestantes - contrários à vitória de Lula, acreditam numa fraude no processo eleitoral. Para Cattani, agir contra eles é o mesmo que tentar "calar" a voz do povo, que tem o verdadeiro poder da nação.

"O povo é voz do poder da nossa nação, pelo menos deveria sr. Só não tem alguma coisa que possa ser feita se o povo desistir. Agora, se o povo continuar, tem liberdade e legitimidade para agir. Depende do povo. Comprovação de Fraude – legitimidade – o direito de se manifestar é livre, está previsto no artigo quinto. Não importa se tem razão ou não. Você tem o direito de se manifestar", destacou.

Comente esta notícia

cd0fb6c3112b42f4ac7db47ed2ff7af9_2.png
whatsapp-icon-4.png (65) 9 9280-9853