Nova Mutum

day_122.png
20 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

20 de Julho de 2024

GERAL Quinta-feira, 04 de Julho de 2024, 10:25 - A | A

04 de Julho de 2024, 10h:25 - A | A

GERAL / VIOLARAM TORNOZELEIRA

Ministro decreta prisão de mato-grossenses que participaram de atos de de 8 de janeiro de 2023 em Brasilia

Vinicius Mendes/GD



Em decisão publicada no Diário de Justiça do Supremo Tribunal Federal (STF) desta quinta-feira (4) o ministro Alexandre de Moraes decretou a prisão dos mato-grossenses Paulo Roberto de Moraes Delgado e Reginaldo Silveira, réus dos atos de 8 de janeiro de 2023, após violações ao monitoramento por tornozeleira eletrônica. Com relação a Paulo foram registradas 23 ocorrências enquanto sobre Reginaldo foram 73.

Paulo Roberto e Reginaldo chegaram a ser presos após os atos em Brasília, mas no dia 10 de março de 2023 eles obtiveram a liberdade provisória, com imposição de algumas medidas cautelares como recolhimento domiciliar e uso de tornozeleira eletrônica.

Consta nos autos que o ministro Alexandre de Moraes determinou que os responsáveis pelo acompanhamento das medidas informassem a situação de todos os mais de mil monitorados.

No último dia 8 de junho a Secretaria de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp-MT) informou que Reginaldo descumpriu diversas medidas cautelares, sendo registradas 73 ocorrências relacionadas ao uso de tornozeleira eletrônica.

No dia 10 de junho a Sesp comunicou os descumprimentos de medidas cautelares por parte de Paulo Roberto, sendo 23 referentes ao monitoramento eletrônico. Uma das violações foi o rompimento da cinta da tornozeleira.

“Observo que o réu insiste em desrespeitar as medidas cautelares impostas nestes autos e referendadas pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal, revelando seu completo desprezo por esta Suprema Corte e pelo Poder Judiciário”, disse o ministro.

Alexandre de Moraes então decretou a prisão preventiva de Paulo Roberto de Moraes Delgado e de Reginaldo Silveira, por descumprimento das medidas cautelares, e também determinou o bloqueio imediato das contas bancárias e dos bens dos réus, “a fim de assegurar a eficácia da persecução penal”.

Comente esta notícia

Arnaldo Gennari De Oliveira 04/07/2024

Meu espírito vai sossegar a hora que Alexandre de Moraes for para o inferno

positivo
0
negativo
1

1 comentários

1 de 1
cd0fb6c3112b42f4ac7db47ed2ff7af9_2.png
whatsapp-icon-4.png (65) 9 9280-9853